terça-feira, junho 12, 2007

O desafio final

Provavelmente eu sou o pesadelo das vendedoras de loja.
Ganhei uma blusa e resolvi trocar por alguma coisa com mais chance de usar.
Para a vendedora, troca já é uma meleca porque não tem comissão, eu ainda sou boazinha e chego ao Minas Shopping 21h35, ou seja, quando ela começa a pensar em fechar o boteco e finalmente ir para casinha. Aí entra a chata (eu) na loja.

Depois das explicações introdutórias, o diálogo:
- Então você quer trocar o tamanho?
- Não... eu queria trocar o modelo mesmo, esse tem muito fru-fru... Eu tenho que escolher entre essas blusas aqui?
- Não, pode escolher qualquer coisa na loja. Você gosta de quê?
- Não sei... Tem calça jeans?
- Tem sim. Olha os modelos.
Eu olho.
- Não sei... Tem sem essas pedrinhas?
- Não.
- E esse modelo?
- Esse modelo não tem 38 nem 40... Mas tem jaqueta. Você gosta?
- Gosto!
- Olha essas
Eu olho.
- Não sei... Tem sem essas pedrinhas?
- Não.
- É que eu não gosto de fru-fru...
- Mas está usando!

Pausa: nesse momento, todos os meus pelinhos arrepiam, meus instintos colocam-se à flor da pele e eu quero dizer: Veja bem, eu não uso uma coisa ri-dí-cu-la só porque 'está usando'. Aliás, detesto esse conceito de 'se todo mundo usa é usável'. Por essa razão tem mulher saindo na rua igual uma palhaça com o shortinho do príncipe valente: porque está usando!

Controlo-me e volto com um sorriso:
- Não sei... E calça de pano, você tem do meu número?
- Tenho preta.
- E de outra cor?
- Tenho aquelas ali.
Ela aponta para um monte de panos dobrados nos tons azul calcinha, rosa calcinha e cáqui.
- Não sei...
- E vestidinho, você gosta?
- Gosto.
- Olha, tem esses aqui...
- Tem sem ser tomara-que-caia?
- Tem, mas...

Pausa para um momento de tensão...

- É que eu não gosto de tomara-que-caia...

No meio de muitos tomara-que-caia e tecidos estampados com flores roxas, encontrei o meu número. Vestido preto, totalmente solto, super Wednesday Adams. Adorei. Tinha um vermelhinho com faixa preta que eu também achei legal.

- Posso experimentar?
Experimentei e o vestido preto tinha uma gola meio canoa. Fiquei na dúvida, e perguntei:
- Será grande para mim?
- Não! É assim mesmo!
- Jura?
- Juro, igual a fulana, da novela das oito...
- Quem?
- A fulana da novela das oito
- Não sei... não vejo novela...

Pausa: nesse momento a atingida em seus instintos assassinos foi a vendedora. Ela me encarou com aquela cara e eu pude ler nos olhos dela: Olha, não gostou do vestido, é só falar, ok? Agora, por favor, não me venha com esse papo de 'eu não assisto novela'. Porque to-do-mun-do sabe que to-do-mun-do assiste novela. Eu não sou idiota, ok?

Mas como era de se esperar de uma profissional, a mocinha controlou-se e voltou com um sorriso:

- Tem um vestindo desse na vitrine, olha como fica...
- Aaahhhh, legal.
- Aí você coloca um cinto, igual na vitrine, para ficar 'afofadinho'.
Realmente, na vitrine, eles estragaram o vestido com um cinto e não ficava parecendo a Wednesday.
- Não sei... é que eu não gosto de cinto...

Mais uma pausa para momento de tensão

- Mas usa... Bem, o vestido 'vestiu super bem em você' (a frase mais usada pelas vendedoras em todos os tempos), e pode usar com a sua bota...
O fato é que por acaso eu estava com uma meia-calça vermelha por baixo da calça preta e minha bota de verniz (por causa do frio e debaixo da calça, ninguém via). E com o vestidinho solto já rolou um certo visual, tipo Wednesday, saca?
- Posso usar sem cinto?
- Pode sim, do jeito que você quiser!

(pausa para o momento acabou a tensão, vou para casa livre dessa louca)

- Então eu vou levar.

O final feliz é que o vestidinho era R$ 20,00 mais caro que a blusa o que garantiu alguma satisfação à vendedora e para mim, um vestidinho que saiu por 20 reais ainda era bastante lucro.

7 comentários:

Lúcio disse...

Nossa, Lud, que relato fantástico! Mais ainda porque acho que eu dispararia olhares assassinos exatamente nas mesmas ocasiões, se estivesse no seu lugar.

E esses bordados de pedrinhas são mesmo uma coisa MEGA-ÜBER-RIDÍCULA. Xô Satanás! :)

Ludmila disse...

O pior é a cara da coitada de "Putz, porque eu tinha que pegar uma dessas ETs bem no fim do expediente". hohohohoho. :)

Kenji disse...

o problema da moda é que ela oprime as pessoas ;-)

"vista-se assim e vc será aceita como uma de nós"

além do mais, a maior mentira de todas as ficções científicas... onde estão nossas roupas prateadas de astronautas? ;-)

Lori disse...

Shortinhos de príncipe valente ficam ótimos na Fernanda Lima (sim, eu assisto novela) :P

Mas não acredito que eles ficariam bons em mais ninguém....

fernanda disse...

só faltou a moça de oferecer uma légui pra usar com o vestidinho e o cinto.
:)

Ludmila disse...

Rufem os tambores: Fernanda, você acaba de ganhar um doce. Porque ela REALMENTE me ofereceu a tal leg, naqueles momentos finais básicos, do tipo: 'ah não quer aproveitar para ver mais alguma coisa? Uma leg para você?' Gente, eu juro! Dá para escrever um dicionário inteiro de 'frases típicas de vendedoras', não dá?
;-)

fernanda disse...

aahahahahahahahaah!!!
elas são péééééssimas!
ah, e eu vou cobrar o doce, hein?
:)