quarta-feira, novembro 05, 2008

Onde nós estávamos?

O jornalista Sérgio Dávila publicou um podcast com o título "Onde você estava quando Obama foi eleito?". Para Dávila nossos filhos nos farão essa pergunta daqui a 40 anos. Bom, para lembrar, escrevo.

Em 4 de novembro de 2008, quando os Estados Unidos elegeram o seu primeiro presidente negro (e que eu particularmente preferiria que tivessem elegido sua primeira presidente mulher), eu estava trabalhando muito, no início do quinto mês de gravidez, sentindo um calor horroroso, com o pé direito distruído por uma bolha estourada e minhas preocupações eram, basicamente:
os efeitos da crise financeira no meu bolso em 2009,
os testes que os físicos estão fazendo com um acelerador de partículas gigante na Europa,
a péssima qualidade da imprensa brasileira,
a péssima qualidade do ensino no Brasil (inclusive das escolas particulares).

E você, onde estava?

8 comentários:

Kenji disse...

eu estava assistindo uma ótima aula de marketing sobre branding, com o professor Glauco, que foi coordenador da administração da UNA e que, por coincidência, é o primeiro professor negro do curso ;-)

isso pq a outra disciplina que eu estou cursando no momento, sobre Comportamento do Consumidor e Pesquisa de Mercado, é lecionada pela Adriana, que por coincidência, é a primeira professora do curso.

ambos, felizmente, ótimos

Lori disse...

Pararam os testes com o acelerador de partículas. Mais, só ano que vem eu acho. Gostei da pergunta. Depois vou pensar direitinho numa resposta. :P

Clara disse...

Eu estava chegando em Valência -Espanha, fui convidada a trabalhar num festival de música contemporânea aqui, por 15 dias (uia!). Minhas preocupações eram banais: será que vou passar na imigração? Será que sei mesmo falar espanhol e pelear com os policiais, se necessário? será que os amigos do Espai Sonor estarão me esperando lá fora? Será que vou dar conta de tanta coisa?
Passei na boa, os amigos estavam me esperando, sei brigar em espanhol e vou ralar pra caramba aqui, mas vai ser divertido.

beijos! Meu! quinto mês? uau! preciso mesmo ir a BH. Na volto eu vou, com certeza. Pego carona nas viagens da Cris, que já criou uma ponte entre SP e BH.

Clarita!

Ludmila disse...

Olha as histórias ótimas que temos para contar para os nossos filhos!! :-)

Lu disse...

Hum... Eu estava trabalhando muito em dois projetos importantes para o escritório e fazendo jornada dupla em casa/marido-terminando-pós-graduação-sem-tempo-para-nada.
Tempinhos meios sem graça, mas que vão nos levar a períodos de realização profissional e "residencial".
Um pé na frente do outro para chegar longe!

P.S. Também estou querendo visitar vocês... Vamos tentar em dezembro, pode ser?

Ludmila disse...

Lu, vamos combinar sim!! :-)

Ana disse...

Eu estava dançando. Ensaiando pro festival de flamenco de fim de ano.
É o que eu faço pra dar um tempo nos problemas básicos do dia-a-dia.

Fui dormir feliz depois de uma massagem de arnica nos pés.
E acordei satisfeita com a notícia :)

enquanto dá disse...

Ich, só vi o post depois do dia 4. Então, como não me lembro, como a maioria das pessoas do mundo, eu estava trabalhando muito e preocupada demais.

Que as pessoas do futuro lembrem-se, como eu, que o mundo não parou naquele dia. Que o mundo lembre daquilo que o kenji falou: ele é negro, mas ainda é um americano.

Porque eu me lembro, somente, que eu estava trabalhando demais e divertindo de menos. E isso pra sempre, vai ser o câncer dos nossos dias. Não o acelerador de partículas.

p.s. E quando os meninos perguntarem, como Almodovar, eu pedirei: troque ranzinza por pitoresco. Sai melhor na impresa ;)