quarta-feira, setembro 05, 2007

Adeus, Lênin

Aí estava eu sentadinha esperando o meu avião no aeroporto de Cumbica (Guarulhos/SP) veio um 'jovenzinho' e se apresentou.
Imaginei imediatamente que ele queria me vender alguma coisa.
Preconceitos à parte, ele queria mesmo, o jornal "Classe Operária", o veículo de divulgação das idéias do Partido da Classe Operária - PCO.
Pensei com meus botões: ele poderia estar roubando, jogando ovo na cabeça dos outros, matando, atropelando prostitutas, cheirando cola, mas está aqui e acredita em alguma coisa.
Aí resolvi dar corda.
Trocamos algumas idéias (sim, eles têm idéias) e acabei comprando o tal jornal por R$ 3,00 'para dar uma força'.
Sinceramente, está longe de ser, digamos, um exemplo de jornalismo objetivo e, idéia por idéia, a maioria delas é bem fraquinha.
Acontece que dentro da minha estranha linha de raciocínio que foge de qualquer paradigma dos anos zero-zero (termo do Kenji), ainda é melhor cultuar o materialismo histórico do Trotsky que a sua última calça jeans.
É melhor defender causas justas por vias questionáveis do que simplesmente não tê-las.
Como tudo tem dois lados, também é prudente não se deixar envolver demais por esses momentos 'eu apoio os jovens idealistas mesmo não apoiando seus ideais'.
Ou seja, fui uma anta quando aceitei que o 'jovenzinho' anotasse o meu e-mail pessoal para enviar 'informações relevantes sobre os movimentos sociais que a mídia neoliberal não cobre'.
Abro minha caixa de entrada e está lá, o Correio dos Trabalhadores número 674.
Quem merece isso, meu Deus?
De onde eles tiram tantos argumentos para discordar de todo mundo?
Sim, de todo mundo, porque até os sindicalistas (que não sejam filiados ao PCO evidentemente) são os 'sindicalistas-mensalões'.
Até no PSOL eles metem o pau. (Eu que achei que seria o PSOL o pilar da esquerda-xiita-tô-com-raiva-do-mundo)
Alguém me responda, para que?
Bom, eles poderiam estar matando, cheirando cola...

PS - Eu agrado bastante de escrever nesse blog, mas andei realmente sem tempo.
É a velha história. A gente vive reclamando que não tem tempo para nada, que está cansada, que a vida é muito estressante.
Quando pára dois minutinhos para pensar, chega à brilhante conclusão que 90% das coisas que faz são opções de vida e foram arduamente almejadas e conquistadas por você: sua casa, seu trabalho, sua aprendizagem, sua cultura, seu lazer, seu prazer.
Pior. Quando você pensa em abrir mão de uma delas que seja, descobre que não pretende abandonar nenhuma.
E que de preferência todas devem estar juntas, pois são as próprias que nos dão a boa e velha sensação de estarmos vivos. Vivos e felizes. Vivos, felizes e cansados.

3 comentários:

Lúcio disse...

Lud, eu também (como você deve ter notado :) tenho longas fases de calmaria bloguística. No meu caso ponho a culpa na velhice mesmo - quase toda idéia "nova" que tenho me parece a refilmagem do remake da reedição de uma idéia anterior. De modo que só posto quando estou excepcionalmente "inflamado" com alguma coisa e as emoções falam mais alto que o padrão de qualidade de pensamentos originais. Por exemplo, estou pensando em fazer ainda esta semana um post intitulado "Transformers: o pior filme do mundo, de todos os tempos". :)

Ah, e eu devia pensar também no lance de "ele poderia estar roubando, cheirando cola, etc" mas acho que não sou uma pessoa boazinha. Hoje um menino na frente da faculdade de medicina da UFMG me entregou um papelzinhoe começou a falar comigo, e quando vi que ele estava fazendo panfletagem pró-desprivatização da Vale amassei o papelzinho na frente dele, joguei numa lixeira ao lado e fui embora calado. Bom, pelo menos o menino não vai roubar ou cheirar cola, porque minha imaginação conspiracionista diz que ele deve estar ganhando alguma coisa de alguém para ficar ali parado fazendo propaganda de "desprivatização da Vale".

Kenji disse...

omni, vc subestima a quantidade de tempo livre da juventude ;-)

quem paga prá ter militância são partidos como o PSDB que podem se dar ao luxo de contratar gente prá ficar agitando bandeiras no cruzamento da cristóvão colombo com a getúlio vargas em época de eleição ;-)

Ludmila disse...

Omni, como eu disse, eu realmente tenho pensamentos estranhos e acredito que é melhor acreditar em alguma coisa, por mais estranha que ela seja, a cair na absoluta alienação consumista da maioria dos jovens. E também não acredito que o rapaz estivesse ganhando um trocado com aquilo, porém, evidentemente, toda ação política é vantajosa para algum grupo político e, o que é problemático, muitas vezes não é o mesmo que o jovem pensa estar auxiliando. De qq forma, você tb atuou politicamente demonstrando a sua opinião e isso é sempre positivo. :)